Músico gospel Nasci da Silva, considerou haver progressos na música gospel e apontou o facto de esta ser tocada em táxis e festas como indicador.

O músico falou ao portal Arautos da Fé, ontem, a margem da cerimónia de posse do novo Pastor de Monte Moriá, pertencente a IECA, em Luanda.

Disse que já passou por 16 províncias, faltando apenas as províncias da Lunda Sul e Norte, pelo que consegue fazer um balanço da música no país.

“O gospel está a ganhar terreno dentro do país, as músicas já tocam nos táxis, candongueiros, nas festas, enquanto ontem, só vinham nos pedir discos para tocar em óbitos.”

Reconheceu que ainda não atingiu o patamar que “tanto se espera”, como é o casa da música gospel do Ghana, Quénia, Congo Democrático, Congo Brazavile e África do Sul, mas, acredita que com a velocidade “que estamos a levar”, daqui a mais “aninhos” isso possa acontecer.

Nasci da Silva, disse que faltam apoios para os músicos gospel. “Vou falar concretamente da minha província, Cabinda, o nosso governo já patrocinou vários músicos seculares, mas, nunca patrocinou um músico gospel. Lamentou.

“Temos muito talento na nossa província, mas não têm apoio. Os nossos empresários dentro da Igreja nos olham a distância. Devem estar com mãos abertas para apoiarem, não pensar da coisa de retorno ou não! É preciso ter fé ao dar.

Apontou a província de Luanda, como sendo a que viu mais músicos gospel “sobressairem”.

“Noutras províncias, não acontece isso e há muitos valores que podem superar os que hoje tanto falam deles no mercado gospel.”

O músico disse que vai continuar a orar e lembrou que muito já foi feito. “Já demos um passo muito grande e a história vai mudar.” Aos produtores e patrocinadores, pediu para apostarem mais no gospel.

“Se Deus vos deu a oportunidade de terem o que têm, abram as mãos, não esperem somente o retorno. Deus poderá responder de forma diferente, que façam mais e muito mais para honra e glória de Deus.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here